Na última década, houve um grande aumento da procura de academias em busca de curvas perfeitas, músculos definidos e exterminação total das incômodas gordurinhas localizadas.

Baseado nesta obsessão, além das intermináveis horas gastas na prática de exercícios físicos, está havendo uma maior preocupação com a alimentação e um aumento do uso de suplementos nutricionais.

A maioria das pessoas tem utilizado a suplementação como uma forma de melhorar o desempenho nas atividades físicas e mentais, retardar o envelhecimento ou até mesmo na prevenção de doenças. No entanto, está havendo um consumo desenfreado destes produtos, já que, por vezes, não há um acompanhamento médico, e são, em sua grande maioria, indicados por amigos.

Mas qual será a real necessidade de uma suplementação?

Todas as pessoas têm necessidades nutricionais, ou seja, devem ingerir diariamente uma certa quantidade de nutrientes para que seu organismo funcione adequadamente. Estas quantidades variam de indivíduo para indivíduo. Entretanto, a partir de muitos estudos em populações saudáveis, foi elaborada pelo ‘Food and Nutrition Board (FNB)’ uma tabela de recomendações nutricionais, chamada de RDA, a qual estabelece valores capazes de cobrir as necessidades da maior parte da população. Estes valores são, então, utilizados como base para a adequação de nutrientes na dieta, sendo que isto pode ser obtido somente a partir de uma alimentação saudável e variada. Ou seja, um indivíduo normal que se alimenta corretamente, sem restrições alimentares, é capaz de obter todos os nutrientes necessários para um bom funcionamento do organismo.

Entretanto, também se sabe que existem algumas doenças ou alterações no metabolismo que podem alterar a absorção de alguns nutrientes, como a anemia e a osteoporose, exigindo assim a suplementação. Porém, deve-se lembrar que esta ingestão aumentada é considerada como um tratamento medicamentoso, mediante recomendação e acompanhamento médico ou nutricionista, já que o uso indiscriminado destes suplementos pode levar ao aparecimento de efeitos colaterais.

Daí vem uma dúvida…e no caso de praticantes de academia ou esportista? Os esportistas que mantêm uma alimentação adequada, também não precisam se preocupar. As deficiências dietéticas de vitaminas e minerais são comuns naqueles que limitam a ingestão de alimentos, visando a manutenção do peso corporal sem um acompanhamento profissional. Neste caso, a suplementação se faz necessária para que se atinja um melhor desempenho na atividade física, assim como um bom funcionamento do organismo. Para tanto, são feitos vários exames clínicos e laboratoriais que determinam as reais deficiências do indivíduo.

E o que seria uma alimentação saudável e balanceada? Alimentar-se corretamente é basicamente:

  Consumir alimentos variados, incluindo frutas, verduras e legumes das mais diversas cores e variedades;

  Diminuir a ingestão de gorduras e frituras, em geral;

  Preferir as carnes magras, como peixes, frango, chester, peito de peru;

  Tomar cuidado com a ‘gordura oculta’, ou seja, que comemos sem perceber. Dentre elas, podemos citar: os embutidos, como salame e presunto; algumas carnes, como, por exemplo, o ‘cupim’; creme de leite, leite integral,entre outros;

  Dar preferência aos produtos ‘light’; à margarina ao invés da manteiga; aos queijos brancos ao invés dos amarelos; ao leite desnatado ao invés do integral;

  Harmonizar nutrientes como carboidratos, proteínas e lipídeos, respeitando suas proporções ideais (porcentagem dos nutrientes em relação ao valor calórico total: 60% de carboidratos, 20 a 30% de lipídios e 10 a 15% de proteínas)

  Aumentar o consumo de fibras, aliado a um alto consumo de água;

  Diminuir o consumo de doces gordurosos, a base de cremes, ovos, chantilly;

  Fracionar ao máximo as refeições diárias.

Saiba mais sobre alguns suplementos:

 Fonte: http://cyberdiet.terra.com.br/qual-a-real-necessidade-de-uma-suplementacao-2-1-1-269.html

Anúncios

Suplementação, quando ?

Publicado: 2 de julho de 2011 em Suplementos Alimentares

Em estudo publicado no final de 2006, foi avaliado o efeito do momento da suplementação em exercício de resistência destinado a hipertrofia muscular, ou seja, a estratégia de consumo de proteína e carboidrato antes e/ou após cada trabalho.

O estudo foi realizado em indivíduos masculinos com consumo de suplemento pré e pós exercício, pela manha e à noite, desconsiderando o horário do exercício. Foram avaliados força e composição corporal, bem como realizou-se biópsia do músculo vasto lateral para determinar o tipo de fibra e outros dados. Os resultados demonstraram que o consumo pré e pós exercício leva a um maior aumento de força e da massa corporal magra. O uso de suplemento pré e pós exercício também resultou em maior concentração de creatinina e glicogênio no músculo após programa de treino.

Conclui-se então que o momento de uso de suplemento representa uma estratégia simples, porém eficaz, de aumentar as adaptações desejadas ao exercício de resistência.


Dr. Henry Okigami

Bibliografia:

– Cribb PJ, Hayes A. Effects of supplement timing and resistance exercise on skeletal muscle hypertropy. Med Sci Sports Exerc 1918-1915.

Fonte: http://www.corpoperfeito.com.br/artigo/VisualizacaoArtigo.aspx?IdArtigo=108

Os erros mais comuns durante ciclos

Publicado: 1 de julho de 2011 em Anabolizantes

Muitos iniciantes costumam cometer erros básicos durante ciclos de esteróides anabolizantes. Erros nos quais podem prejudicar não só os ganhos, mas a saúde do envolvido. Conheça alguns dos erros mais comuns durante os ciclos:

Reaproveitar seringas e agulhas

Jamais deve-se reaproveitar seringas e agulhas, nem mesmo a que acabou de usar com outra droga. Muitos indivíduos já morreram por infecções devido a isso e, outros tantos perderam membros ou tiveram sérios problemas de necrose. E, se você já gastou um bom dinheiro com o ciclo, não custa nada fazê-lo com segurança e higiene.

Misturar drogas oleosas com aquosas

Esse é um erro básico cometido para economizar. Esse procedimento pode ocasionar dores fortíssimas e inchaço local.

Local das aplicações

Para os iniciantes, os melhores locais de aplicação são os glúteos e o vasto lateral. (Sempre tirando o peso do membro antes.) Por que? Simplesmente pelo motivo de que BRAÇOS, DORSAIS e outros são muito susceptíveis  não só aos vasos sanguíneos, mas principalmente a nervos. E você não deseja perder o movimento de algum membro, não é mesmo?

Não fazer TPC

TPC é comprovadamente necessária em 99% dos casos. Nela, você tem a possibilidade de ajudar seu corpo a recuperar-se mais rápido e, evitar a aromatização de muitas outras drogas. Evita também problemas com a compensação hormonal, como a ginecomastia, hipertrofia testicular e impotência sexual. Algumas das drogas mais utilizadas em TPC são: Citrato de Tamoxifeno, HCG, Clomid etc

Conclusão:

Alguns erros primordiais e básicos podem evitar problemas seríssimos. É importante sempre pesquisar e, se possível buscar a opinião de um profissional antes de colocar qualquer substância em seu organismo.

Este artigo foi escrito por: Marcelo Sendon

Fonte: http://dicasdemusculacao.com/os-erros-mais-comuns-durante-ciclos/

Toda droga tem seu efeito colateral. Com a Efedrina, Clembuterol e Salbutamol não será  diferente. Veja aqui quais são os efeitos de cada “droga“:

Efedrina:

Efeitos Colaterais:

– Estimulador do sistema nervoso central (SNC);
– Aumenta a temperatura corporal (recomendado beber bastante agua);
– Pode ocasionar caimbras (recomenda-se utilizar potassio);
– Acelera o coraçao;
– Insonia (Quando aliado a cafeina);
– Dores de cabeça, tremedeiras e vontade de vomitar;
– Aumento da pressao;
– O uso da substancia por um tempo continuo de mais de 2 anos pode ocasionar sangramento do cerebro.;
– Sudorose.

Clembuterol (pulmonil):

Efeitos colaterais:

– Nervosismo, tremores das mãos, enxaquecas e insônia;
– Câimbras de músculo são os mais comuns;
– Acelara o coraçao;
– Aumento da temperatura corporea;
– Estimulador do SNC ( Sistema Nervoso Central).

Salbutamol:

Efeitos colaterais:

– Seus efeitos colaterais são semelhantes ao de qualquer agonista beta2-adrenérgico e muito semelhantes aos do clembuterol;
– Aumento da pressão arterial, frequência cardíaca, insônia, tremores e sudorese são os mais comentados;
– Também é capaz de diminuir os níveis do aminoácido taurina na circulação e no coração. A depleção desse composto está relacionado a ocorrência de cãimbras;
Lesões cardíacas, como as reportadas em animais com clembuterol, nunca foram observadas com o salbutamol. Eu acredito que isso ocorra devido a MV mais curta dessa composto. Na verdade, também não acredito na toxicidade cardíaca do clembuterol, uma vez que os animais possuem muito mais receptores beta2 que os humanos. Todos esses colaterais são facilmente controlados, devido a MV curta do composto (mesmo após ocorrer acúmulo). Tomando as precauções devidas, o salbutamol é uma droga muito segura.

Este artigo foi escrito pela: Equipe Massa Corporal

Fonte: http://dicasdemusculacao.com/efeitos-colaterais-efedrina-clembuterol-salbutamol/

Na hora de procurar um profissional de nutrição, qual eu devo buscar? Esportivo, clínico ou basear a dieta em meu conhecimento?

 

Durante a faculdade de nutrição, são oferecidas matérias básicas para o profissional que se formará em nutrição geral. Isso significa que ele passa basicamente por todas as áreas básicas que ele pode atuar após alcançar a graduação.

Qual escolher na hora de aderir a um profissional? Esporte, clínico ou ir na auto-confiança? Descubra neste artigo!

Porém, apesar de ter a possibilidade de trabalho em todas as áreas, é  importante lembrar que as especializações e especificidades profissionais são levadas em consideração para a área em que assim ele se direcionou.

Para nós que estamos dentro de uma academia, profissionais  da nutrição esportiva são uma grande pedida. Não que o nutricionista clínico não tenha capacidade de atuar nessa área, mas a competência de um nutricionista esportivo nesse aspecto é, sem dúvidas muito maior. Assim como, claro, o nutricionista esportivo não tem grandes graduações em áreas patológicas hospitalares, por exemplo.

Porém, um aspecto muito importante chamado auto-conhecimento deve sempre ser levado em consideração na medida em que para o culturista, a individualidade biológica e as respostas aos diversos estímulos físicos e alimentares fazem toda a diferença. Isso não exclui um profissional que sem dúvidas o ajudará a dominar ainda mais esse auto-conhecimento.

É importante em um começo de atividade que sejam aliados os profissionais adequados para aquela área e, a junção do trabalho mútuo entre profissionais e cliente. Sem a interação entre ambos é muito mais complicado atingir objetivos pois cada um tenderá a buscar um caminho diferente para o mesmo objetivo.

Pense nisso

Artigo escrito por Marcelo Sendon

Fonte: http://dicasdemusculacao.com/nutricao-clinica-esportiva-ou-auto-conhecimento/

Dica rápida: Modere com os embutidos

Publicado: 1 de julho de 2011 em Nutrição

Entenda o que são os embutidos e por que deve ser consumido moderadamente

 

Quem é que nunca se deliciou com um delicioso pão com mortadela ou, simplesmente, para os mais “frescos” um pão com salame e queijo? Independente de qual seja a escolha, ambos tratam-se de embutidos. Aliás, isso envolve presunto, apresuntado, peito de peru e até mesmo os embutidos de frango.

Saiba um pouco mais sobre o mal dos embutidos.

É realmente um fato que muitos destes embutidos são relativamente gostosos e, alguns, produzidos da maneira mais saudável possível. E sim, você leu “da maneira mais saudável possível”. Isto quer dizer que eles ainda possuem certo teor de propriedades não muito convenientes e nós fisiculturistas.

E é ai que, muitas vezes, considero um grande erro ao ver a molecada consumindo isso em 3 ou 4 refeições diárias. E explicarei o porque nos parágrafos adiante.

Embutidos são recheios colocados dentro das tripas de alguns animais (geralmente do porco). Esses recheios são diversos e podem gerar desde lingüiças e salsichas, até peças mais nobres como o peito de peru e os embutidos de avestruz, frango e outros alimentos como azeitonas, passas etc
Mas tudo bem. Se, embutidos são apenas recheios com carnes de animais, qual o problema em consumi-los no lugar de frango, carne, peixes e outros derivados animais de alto valor biológico?

Primeiramente, a principal forma de conservação desse tipo de alimento, é o sódio. Muitos desses alimentos possuem teores brutalmente exagerados de sódio. E este, apesar de benéfico e essencial quando consumido em quantidades adequadas, pode gerar diversos problemas cardiovasculares, entre outros, quando consumido de maneira exagerada. Além disso, parte da qualidade muscular fica comprometida pela camada de água subcutânea que é formada.

Em segunda instância, temos o problema do tipo de carne que é utilizada. Geralmente carnes e pedaços não nobres que muitas vezes não passam de restos de outros pedaços recém limpos. Estes, são normalmente pedaços de gordura e banha.

Apesar de ser óbvio que uma dieta deve conter quantidades de lipídios ideais para o indivíduo, o excesso também pode ser prejudicial. Principalmente por estarmos falando de alimentos altamente calóricos e, que, facilmente ajudariam a estrapolar esses “níveis ideais” de consumo lipídico diário.

Em terceiro plano, temos os outros aditivos e misturas, como conservantes, aditivos de sabor e soja. Isso serve, industrialmente, para melhorar o sabor (óbvio), fazer o produto render e conservá-lo por um período muito maior. Todavia, isso faz com que o teor protéico de alto valor biológico tenda a diminuir (com a adição de proteínas de baixo valor biológico). E, você não gostaria de, muitas vezes pagar mais, por um produto inferior, não é mesmo?

Conclusão:

Alimentos embutidos não são boas opções para o consumo diário e indiscriminado. Excluí-los da dieta, para quem gosta, pode também não ser uma alternativa muito vantajosa, mas, devemos lembrar que consumir com moderação e consciência é sempre uma boa escolha.

Artigo escrito por Marcelo Sendon

Fonte: http://dicasdemusculacao.com/dica-rapida-modere-com-os-embutidos/

É mais do que claro que o corpo necessita de diferentes nutrientes para estabelecer um certo equilíbrio em suas funções e, claro, em qualquer tipo de desenvolvimento que fizer, inclusive o muscular.

Entenda o porque da importância de obter diversos nutrientes para o corpo e saiba como isso pode ajudar em seus ganhos.

E para isso, necessita de macro e micro-nutrientes. A primeira classe, diz respeito aos carboidratos, aos lipídios e as proteínas. Moléculas geralmente grandes que fornecem o “básico” para o corpo, ou seja, matéria prima energética e construtora. Esses, são utilizados em quantidades grandes em nosso organismo. Já os micro-nutrientes, são nutrientes que são usados em pequenas quantidades e estão relacionados com co-fatores de desenvolvimento. Nessa classe, estão incluídos os sais minerais e as vitaminas.

Uma dieta, mesmo que balanceada, geralmente não peca nos valores de macro-nutrientes, pois estes, são facilmente encontrados na maioria dos alimentos e, então, basta colocá-los na proporção correta. Porém, os micro-nutrientes seguem especificidades muito maiores e, não estão associados a todos os alimentos. Aliás, até estão, de certa forma, mas não em todos seus sub-grupos. Por exemplo:

Se necessitarmos de uma fonte de carboidratos, temos disponível inúmeras fontes como cereais, tubérculos, pães, grãos etc. Mas e se a necessidade for, por exemplo, de vitamina C? Será que encontraríamos Vitamina C no leite ou no arroz, por exemplo? Provavelmente não. Então, teríamos de buscar em outras fontes, como por exemplo laranjas, limões, acerola, tomate etc. Todavia, apesar do tomate ser rico em vitamina C (um micro-nutriente) ele não é tão rico em vitaminas do complexo B, quando comparado a batata doce, por exemplo. Logo, apesar de ter um sub-grupo de micro-nutrientes, ele envolve maior especificidade.

Entendendo isso, fica muito mais fácil compreender porque uma dieta deve ser variada não somente nos alimentos optativos, mas nos básicos também. É prudente variar entre feijão, lentilha, grão-de-bico da mesma maneira em que é importante variar a cenoura, do tomate, da couve-flor e assim por diante.
Uma dieta que não segue um padrão único e abrange a maior quantidade de alimentos diferenciados tende a fornecer ao corpo nutrientes essenciais para um bom desenvolvimento e, claro, manutenção de suas funções. Lembre-se que todo tipo de nutriente é importante para o corpo e cada um dele exerce um papel diferente e importante dentro de um quadro metabólico.

Variar a dieta é não só ser prudente quando aos ganhos, mas quanto a saúde também.

Bons treinos!

Artigo escrito por Marcelo Sendon

Fonte: http://dicasdemusculacao.com/varie-a-alimentacao-e-ganhe-musculos/