Arquivo da categoria ‘Suplementos Alimentares’

Na última década, houve um grande aumento da procura de academias em busca de curvas perfeitas, músculos definidos e exterminação total das incômodas gordurinhas localizadas.

Baseado nesta obsessão, além das intermináveis horas gastas na prática de exercícios físicos, está havendo uma maior preocupação com a alimentação e um aumento do uso de suplementos nutricionais.

A maioria das pessoas tem utilizado a suplementação como uma forma de melhorar o desempenho nas atividades físicas e mentais, retardar o envelhecimento ou até mesmo na prevenção de doenças. No entanto, está havendo um consumo desenfreado destes produtos, já que, por vezes, não há um acompanhamento médico, e são, em sua grande maioria, indicados por amigos.

Mas qual será a real necessidade de uma suplementação?

Todas as pessoas têm necessidades nutricionais, ou seja, devem ingerir diariamente uma certa quantidade de nutrientes para que seu organismo funcione adequadamente. Estas quantidades variam de indivíduo para indivíduo. Entretanto, a partir de muitos estudos em populações saudáveis, foi elaborada pelo ‘Food and Nutrition Board (FNB)’ uma tabela de recomendações nutricionais, chamada de RDA, a qual estabelece valores capazes de cobrir as necessidades da maior parte da população. Estes valores são, então, utilizados como base para a adequação de nutrientes na dieta, sendo que isto pode ser obtido somente a partir de uma alimentação saudável e variada. Ou seja, um indivíduo normal que se alimenta corretamente, sem restrições alimentares, é capaz de obter todos os nutrientes necessários para um bom funcionamento do organismo.

Entretanto, também se sabe que existem algumas doenças ou alterações no metabolismo que podem alterar a absorção de alguns nutrientes, como a anemia e a osteoporose, exigindo assim a suplementação. Porém, deve-se lembrar que esta ingestão aumentada é considerada como um tratamento medicamentoso, mediante recomendação e acompanhamento médico ou nutricionista, já que o uso indiscriminado destes suplementos pode levar ao aparecimento de efeitos colaterais.

Daí vem uma dúvida…e no caso de praticantes de academia ou esportista? Os esportistas que mantêm uma alimentação adequada, também não precisam se preocupar. As deficiências dietéticas de vitaminas e minerais são comuns naqueles que limitam a ingestão de alimentos, visando a manutenção do peso corporal sem um acompanhamento profissional. Neste caso, a suplementação se faz necessária para que se atinja um melhor desempenho na atividade física, assim como um bom funcionamento do organismo. Para tanto, são feitos vários exames clínicos e laboratoriais que determinam as reais deficiências do indivíduo.

E o que seria uma alimentação saudável e balanceada? Alimentar-se corretamente é basicamente:

  Consumir alimentos variados, incluindo frutas, verduras e legumes das mais diversas cores e variedades;

  Diminuir a ingestão de gorduras e frituras, em geral;

  Preferir as carnes magras, como peixes, frango, chester, peito de peru;

  Tomar cuidado com a ‘gordura oculta’, ou seja, que comemos sem perceber. Dentre elas, podemos citar: os embutidos, como salame e presunto; algumas carnes, como, por exemplo, o ‘cupim’; creme de leite, leite integral,entre outros;

  Dar preferência aos produtos ‘light’; à margarina ao invés da manteiga; aos queijos brancos ao invés dos amarelos; ao leite desnatado ao invés do integral;

  Harmonizar nutrientes como carboidratos, proteínas e lipídeos, respeitando suas proporções ideais (porcentagem dos nutrientes em relação ao valor calórico total: 60% de carboidratos, 20 a 30% de lipídios e 10 a 15% de proteínas)

  Aumentar o consumo de fibras, aliado a um alto consumo de água;

  Diminuir o consumo de doces gordurosos, a base de cremes, ovos, chantilly;

  Fracionar ao máximo as refeições diárias.

Saiba mais sobre alguns suplementos:

 Fonte: http://cyberdiet.terra.com.br/qual-a-real-necessidade-de-uma-suplementacao-2-1-1-269.html

Suplementação, quando ?

Publicado: 2 de julho de 2011 em Suplementos Alimentares

Em estudo publicado no final de 2006, foi avaliado o efeito do momento da suplementação em exercício de resistência destinado a hipertrofia muscular, ou seja, a estratégia de consumo de proteína e carboidrato antes e/ou após cada trabalho.

O estudo foi realizado em indivíduos masculinos com consumo de suplemento pré e pós exercício, pela manha e à noite, desconsiderando o horário do exercício. Foram avaliados força e composição corporal, bem como realizou-se biópsia do músculo vasto lateral para determinar o tipo de fibra e outros dados. Os resultados demonstraram que o consumo pré e pós exercício leva a um maior aumento de força e da massa corporal magra. O uso de suplemento pré e pós exercício também resultou em maior concentração de creatinina e glicogênio no músculo após programa de treino.

Conclui-se então que o momento de uso de suplemento representa uma estratégia simples, porém eficaz, de aumentar as adaptações desejadas ao exercício de resistência.


Dr. Henry Okigami

Bibliografia:

– Cribb PJ, Hayes A. Effects of supplement timing and resistance exercise on skeletal muscle hypertropy. Med Sci Sports Exerc 1918-1915.

Fonte: http://www.corpoperfeito.com.br/artigo/VisualizacaoArtigo.aspx?IdArtigo=108

O que são os BCAAs ?

Publicado: 30 de junho de 2011 em Suplementos Alimentares

 

É muito comum ao iniciar o treinamento em academias surgir às primeiras curiosidades a respeito dos suplementos. No atendimento nutricional em academias muitos praticantes de atividade física procuram conhecer melhor o suplemento protéico BCAA, mas o que é esse suplemento?

Antes de dar essa resposta precisamos entender primeiro o que são aminoácidos e proteínas.

Aminoácidos são pequenas unidades que formam uma estrutura maior chamada proteína, que por sua vez é a unidade básica do tecido muscular. Em nosso corpo ocorre a produção de alguns aminoácidos, entretanto outros devem ser adquiridos através alimentação, pois não são fabricados pelo nosso corpo. Estes são chamados de aminoácidos essenciais.

São exemplos de aminoácidos essenciais: leucina, isoleucina e valina que são aminoácidos de cadeia ramificada encontrados, principalmente, em fontes protéicas de origem animal. São conhecidos popularmente como os BCAAs, sigla derivada da sua designação em inglês: Branched Chain Amino Acids.

Após a ingestão, os BCAAs são absorvidos no intestino e transportados até o fígado, via circulação porta. No fígado, os BCAAs podem ser utilizados como substrato para síntese protéica e assim entram na construção dos músculos. Além disso, os BCAAs estimulam a produção de glutamina e alanina, entre outras substâncias. O aminoácido glutamina apresenta efeito benéfico sobre a função do sistema imunológico e é o principal combustível das células epiteliais do intestino.

Entretanto, durante a atividade física o corpo entra em um estado de catabolismo, quando ocorre a quebra de um substrato para o fornecimento de energia para as células e esse substrato pode ser a proteína muscular. Para que ocorra a construção de proteínas, e não a degradação, o ideal é que a alimentação seja rica em carboidratos (para oferecer energia para as células) e em aminoácidos diversos, inclusive os BCAA’s, que irão entrar principalmente na construção do tecido muscular. Este estado de construção a partir de substratos é chamado de catabolismo.

Desta maneira uma alimentação adequada em alimentos de origem vegetal e animal são fundamentais para atingir um bom desempenho esportivo. Se sua alimentação é deficiente em um determinado nutriente que é utilizado fundamentalmente em produção de energia durante o exercício, sua perfomance será prejudicada. Ou seja, se a dieta for equilibrada composta por alimentos variados e coloridos em quantidades adequadas o atleta não estará sujeito a deficiência nutricional.

Não esqueça que a hidratação deve ser reforçada para os praticantes de atividade física. A água é importante no metabolismo de nutrientes e na excreção dos metabólitos produzidos. Além disso, muita água é perdida na forma de suor e na respiração durante a prática da atividade física intensa e também nas atividades do dia a dia.

Por isso ao iniciar a prática de qualquer atividade física procure um nutricionista. Este profissional é capaz de orientar planos alimentares e suplementos que se adéquam aos objetivos como o ganho de massa magra, redução de tecido adiposo, aumento de resistência muscular  e também é habilitado para calcular as necessidades metabólicas individuais em cada fase do treinamento.

Fonte: http://www.anutricionista.com/o-que-sao-os-bcaas.html

Tipos de Suplementos

Publicado: 30 de junho de 2011 em Suplementos Alimentares

Suplementos Hipercalóricos

São suplementos que possuem um valor energético alto. Esses suplementos são compostos por carboidratos e aminoácidos essenciais, ou seja, aminoácidos que não produzimos no nosso organismo.
Suplementos Hiperproteicos/aminoácidos

São suplementos proteicos

Possuem compostos de aminoácidos essenciais ao nosso organismo que ajudam na formação de músculos.

Suplementos Termogênicos

Ajudam no aumento do metabolismo. Contribuem na perda de peso e gordura corporal.

Suplementos Antioxidantes

Rico em nutrientes antioxidantes, ajuda na limpeza do organismo. Quem pratica muita atividade física acaba liberando muitos radicais livres no organismo que são responsáveis pelo envelhecimento precoce ou mesmo que levam a doenças como o câncer. Esses antioxidantes ajudam na eliminação desses radicais livres.

Suplementos Polivitamínicos e Minerais

Para pessoas que necessitam complementar vitaminas e minerais no dia a dia.

Suplementos Hormonais

São substâncias que estimulam a produção de hormônios. Muito cuidado no seu consumo porque hoje em dia nas academias são muito comercializados. Sempre é necessária uma avaliação médica para analisar necessidade de utilizá-los.

Fonte: http://www.anutricionista.com/o-que-sao-suplementos-alimentares.html

Suplementos são na maioria das vezes vitaminas, minerais e aminoácidos que complementam a alimentação. Importante para pessoas com carências nutricionais e também para praticantes de atividade física ter um melhor desempenho ou repor perdas nutricionais durante essa prática.
Atualmente, no ritmo de vida que vivemos, perdemos muitos nutrientes com estresse, falta de tempo de preparar alimentos saudáveis ou mesmo pelo consumo exagerado de produtos industrializados. Com isso os suplementos passam ser necessários no dia a dia, com prescrição médica ou de nutricionistas.
Mas o que é perigoso é comprar suplementos por conta própria e sair utilizando vários produtos juntos sem nenhuma orientação profissional. Suplementos parecem ser inofensivos, mas dependendo da quantidade ou do componente podem ter conseqüências desagradáveis.
Nessa sessão do site iremos explicar os efeitos de cada componente dos suplementos, com objetivo de compartilhar informações com os leitores para saberem o efeito no organismo de cada um deles. Mas lembre-se que nenhum suplemento substitui uma alimentação saudável. Como o próprio nome diz, ele vem para suplementar à alimentação. Terá um melhor resultado associado com hábitos de vida saudáveis.

 

Fonte: http://www.anutricionista.com/o-que-sao-suplementos-alimentares.html

Maltodextrina é um carboidrato complexo, proveniente da conversão enzimática do Amido do Milho. Sua absorção pelo organismo é gradativa e lenta, pois contém polímeros de dextrose. Estes polímeros acabam sendo metabolizados lentamente, o que faz com que ela forneça energia durante uma atividade física que necessita de resistência e de longa duração, pois ela vai liberando a glicose gradualmente no sangue.

Muito usada por jogadores de futebol, basquete, maratonistas, e também pela maioria dos praticantes de musculação, que é foco principal desse post. O pessoal que visa a hipertrofia usam tanto a maltodextrina quanto a dextrose, para repor o glicogênio muscular e como transporte de nutrientes para dentro das células, sejam as proteínas, creatina, BCAAs e glutamina. Graças ao pico de insulina causado pelo alto índice glicêmico desses carboidratos.

Por isso o mais indicado para se tomar a maltodextrina ou a dextrose, são juntos com a Whey Protein no pós-treino, podendo tomar junto também a Creatina, BCAA, ou Glutamina. A Maltodextrina não causa efeitos colaterais, e caso você não tenha problemas de diabetes, pode tomar tranquilo, e mesmo os diabéticos podem tomar, mas com orientação médica claro.

E para os que chegam ao nosso blog perguntando se maltodextrina engorda, o Julião respondeu essa dúvida no fórum e creio que vai sanar a dúvida da maioria. Veja aqui.

A proporção ideal para se tomar no shake pós-treino é a seguinte: – 1 grama de carboidrato para cada kg de peso corporal Exemplo, se a pessoa pesa 60kg, utiliza 60gr de carboidrato, podendo ser divido em (50% de Dextrose e 50 % de Maltodextrina) – 30g de Proteína (um medidor que habitualmente vem nos potes de Whey) – 5 á 10g de Creatina – Glutamina e BCAA  – Cerca de 5g de cada. Eu não costumo olhar marca de maltodextrina ou dextrose, levo mais pelo sabor mesmo, e costuma ser das marcas: Neo-Nutri, DNA, Atlhetica. O preço médio do pacote de 1kg costuma girar em torno de R$10,00.

Fonte: http://www.planetbuscas.net/blog/maltodextrina-o-que-e-efeitos-e-como-tomar/

Não vou me prolongar muito quanto ao que é albumina, irei resumir bastante e chegar ao que de fato vocês querem saber, “como tomar e qual o melhor horário”.
Albumina é uma proteína de alto valor biológico presente na clara do ovo e também encontrada no leite e no sangue como sua principal proteína, que se encontra em grande abundância no plasma, onde é sintetizada no fígado.

Utilizada durante muitos anos pelos culturistas, só venho perder um pouco de espaço entre as principais proteínas a ser consumida como suplementos, nos últimos anos com o surgimento da Whey Protein, antes disso os principais shakes protéicos eram de albumina sem sabor estilo da marca Salto’s e Proteinato de Cálcio.

Horários pra se tomar:
Primeiramente você pode utilizar a albumina ou qualquer outro tipo de alimento protéico de 3 em 3 horas ou até mesmo de 2 em 2 horas, isso vai depender do seu objetivo e disponibilidade de grana claro, mas lembre-se, quanto mais poderem se manter em estado anabólico, maior chance de resultados, então não vamos pecar na alimentação e suplementação.

Basicamente e em minha opinião vou colocar na ordem de prioridade as melhores horas pra a melhor absorção e aproveitamento da albumina.

Depois do treino:
Se não tiverem, preste atenção hein, se não tiverem condições de comprar uma Whey Protein, então coloque a albumina no lugar e tomem com dextrose ou maltodextrina. Mas ainda dou preferência para o pós treino a Whey, por ter uma absorção mais rápida e pela síntese protéica ser excelente.

Antes de dormir:

Ai sim, acho o horário mais indicado para suplementar com albumina, muitos falam que ela é de lenta absorção, eu considero ela de média para lenta absorção, e nesse post eu explico o porque. Então pelo seu baixo custo comparado a outros suplementos protéicos, a albumina é o mais indicado como proteína “time release” durante esse período que ficaremos sem se alimentar.

Ao acordar:
Lembre que você ficou um bom tempo sem comer, seu corpo necessita além de carboidratos, de proteína também para poder evitar o catabolismo, pode-se colocar ai, como disse, dependendo da disponibilidade de $$, uma Whey ou albumina no seu shake.

Antes do Treino:
Bom, essa é uma opinião minha, muitos podem discordar, mas eu sou contra suplementação antes do treino, principalmente de fazer uso de maltodextrina como já expliquei em alguns posts e comentários por aqui. Dou preferência por uma boa refeição sólida um período antes de ir treinar, e só, sem suplementação.

Quanto à quantidade a ser consumida, vocês sabem que vai do objetivo de cada um, mas a recomendação é de aproximadamente 2g até 3g /Kg para o total de proteína da dieta somando-se suplementos e alimentos (nesse post eu explico como calcular).

Eu utilizo antes de dormir e ao acordar uma dose de 30gr da albumina Salto’s que na minha opinião é a melhor marca, e tomo junto com leite desnatado às vezes, porque só com água é muito ruim.

Fonte: http://www.planetbuscas.net/blog/albumina-o-que-e-efeitos-e-como-tomar/